Nanotecnologia e fabricaçao molecular. Gestão responsável.



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

A fabrico molecular oferece esperança para uma capacidade de resposta muito maior dos serviços humanitarios e para aliviar de forma mais rápida o sofrimento da população afectada por desastres naturais. Oferece-nos, assim, o seguinte cenário hipotético:

N o espaço de uns anos uma povoação numa região agrária, isolada, de um país pobre, fica completamente destruída por inundacões, deixando 5000 famílias sem casa, sem o seu meio de vida (a agricultura) e sem água potável. Nos días de hoje, um acontecimento deste género reuniria todos os ingredientes de um desastre humanitario de enormes dimensões.

Porém, dentro de alguns anos e graças a fabricação molecular (uma das materias mais controversas na investigação e nos avanços do campo da nanotecnologia), a situação poderia resolver-se com algumas viagens de helicóptero. Milhares de avanços tecnológicos originaram materiais de ajuda mais compactos e eficazes. Contudo o avanço tecnológico mais importante até agora é a nanofábrica portátil que, com a utilização de materiais locais, pode construir uma ampla variedade de produtos para serviços humanitários.

Como funcionariam os novos sistemas de ajuda gerados com o fabricação molecular? Imagine que chega o primeiro helicóptero. O primeiro contentor que é descido do helicóptero é o do sistema de água – pode usar-se um sistema pré-fabricado para uma quantidade de apenas 25.000. A tubagem é curva e de plástico e, apesar de parecer demasiado frágil, suporta na perfeição a pressão da água. Ésta é introduzida no rio de água suja, junta-se um barril de combustível a um pequeno gerador, e liga-se o filtro. Uns minutos depois, a água limpia corre pelo sistema de tubagem colocados pelo campo de refugiados e distribuindo uns 379.000 de água limpia por día.

Enquanto isso, já desceram do helicóptero o segundo contentor –o eixo de todo o sistema- a fábrica portátil: cheia de nanotecnologia e robótica, pesa uns 91 kg, mede a metade da altura de uma pessoa e é capaz de fabricar duas toneladas de produtos por dia. É fácil de manejar - um ecrã mostra o tipo e a quantidade de produtos que é preciso fabricar.

Opta-se pelo mais o mais urgente, que é fabricar tendas de campanha. A fabricação de 5000 tendas familiares têm uma duração de très horas. De um tanque ligado ao helicóptero se introduz o combustível á fábrica e, uma vez dentro do sistema, o combustível é convertido em nanotubos e tecidos que se cosem. O produto final “autoenche-se” e são utilizados pedras e objectos pessados para manter as tendas no chão. Nessa mesma noite, a primeira depois do desastre, todas as famílias terão um sítio onde dormir.

No día seguinte, 250 pessoas do povoação recebem formação sobre o funcionamento da nanofábrica e são enviadas 5000 pessoas para recolher materiais orgânicos para serem levados para o campo. Enquanto isso, a nanofábrica teve ligada durante toda a noite para criar mais fábricas; numa hora podem duplicar-se, assim que, pela manhã seguinte, haverá 256 nanofábricas preparadas para funcionar. O combustível restante é utilizado para criar plantas químicas capazes de transformar qualquer matéria orgânica em combustível.

O campo é dividido em 250 unidades para 100 pessoas cada uma. Cada unidade recebe uma nanofábrica e uma planta química capazes de produzir grandes quantidades de serviços básicos: roupa, materiais de construção, pequenas casas prefabricadas ou estufas, inclusive alguns tipos de alimentos (aos que será preciso acrescentar vitaminas e minerais). A nanofábrica pode produzir 18 kg de serviços por pessoa ao dia. É suficiente para dar a cada familiia uma casa logo no primeiro día e uma estufa no segundo dia. Todo o lixo da população é recolhido e usado em plantas químicas.

O ambiente apesar de confortável é estranho. Aquando a secagem das terras, pouco a pouco, a população vai-se reconstruindo. As casas vazias esvaziam-se e queimam-se. Os restos são utilizados pelas plantas químicas. A maioria das nanofábricas são queimadas.. Alguns dos habitantes continuam com o cultivo nas estufas e algumas nanofábricas são guardadas.

Este cenário descreve o enorme e aliciante potencial humano da nanotecnologia. Para isso é preciso uma gestão responsável da nanotecnologia e da fabricação molecular.

O artigo original, em inglês, podeser consultado nesta direcção: http://crnano.typepad.com/crnblog/2004/09/natural_disaste.html


Video: Você CRIA ou COPIA?


Comentarios:

  1. Freowine

    me gusta esto

  2. Denby

    Bravo, gran respuesta.

  3. Faejas

    Pido disculpas por interferir, también me gustaría expresar mi opinión.

  4. Garlan

    Considero que no estás bien. Estoy seguro. Puedo probarlo. Escríbeme en PM, nos comunicaremos.

  5. Davion

    la frase útil

  6. Dizahn

    Bravo, es simplemente magnifica idea



Escribe un mensaje


Artículo Anterior

Previsiones 2009 para el sector tecnológico

Artículo Siguiente

Como dibujar un árbol de Navidad